Bom dia



Um feixe de luz,
O raiar do Sol.
Longo bocejar,
Costas esticadas.
Do dedinho descoberto,
A mão começa a gelar.
O frio ameaça incorporar.
Aconchegante, viajar para lençóis.
Amontoar-se na terra dos cobertores e
Desbravar o monte travesseiro.
Cinco minutos a mais não é crime,
É tudo tão perfeito nesta manhã.


Talvez para mamãe não o seja.
Ouço o terceiro grito:
- Menina, o café tá na mesa!
Barriga ronca.
Uáá! Bom dia!

Nenhum comentário: